Os Jogos Beat ‘em Up estão de volta ou nunca morreram de verdade?

Em 2020, duas grandes lendas entre os jogos Beat ‘em Up (Streets of Rage e Battletoads) retornaram ao mundo dos games, após muitos anos, e conseguiram agradar players das mais diversas gerações. Obviamente, os títulos foram repaginados e modernizados, mas sua essência permaneceu a mesma.

De todo modo, o fato é que esse “retorno” me levou a refletir sobre o gênero e eu resolvi dar uma olhada nos títulos que foram lançados após a “fase de ouro” dos jogos Beat ‘em Up, com a intenção de descobrir se esses games estão mesmo retornando ou, na realidade, nunca deixaram de ser explorados.

Sendo assim, neste post, você ficará conhecendo os resultados das minhas análises e terá acesso a alguns exemplos bem interessantes, dentro do universo dos Jogos Beat ‘em Up. Então, se você é fã da clássica fórmula de “andar e bater”, não deixe de conferir até o fim… vamos começar?

Beat ‘em Up: história e características

No último parágrafo da minha introdução, destaquei que os jogos Beat ‘em Up são marcados pela utilização da clássica fórmula de “andar e bater”. E essa ideia é perfeita para resumir as principais características do gênero.

Pois é! O gênero Beat ‘em Up é marcado por apresentar construções simples, nas quais os heróis controlados pelos players devem apenas focar em se movimentar e eliminar hordas de adversários, com socos e pontapés. Em alguns casos, os jogos chegam a ter algumas armas de curto alcance, o que acaba gerando “espécies híbridas”, que mesclam Beat ‘em Up e Hack and Slash.

De qualquer forma, é sempre bom ressaltar que o gênero é um dos mais antigos do mundo dos games. Segundo os dados, os primeiros Beat ‘em Up começaram a ser lançados na década de 1980, com alguns títulos atuando como a base para um período de grande sucesso, que ficou conhecido como a “fase de ouro”.

A “fase de ouro” dos Jogos Beat ‘em Up

Em 1987, com o lançamento do primeiro Double Dragon, os jogos Beat ‘em Up passaram a ser opções extremamente populares junto aos players. Esses jogos eram ótimas opções para os fliperamas, pois tinham um certo nível de desafio e ainda ofereciam um ótimo gameplay cooperativo.

Além de Double Dragon, a estreia de Final Fight ajudou a consolidar o gênero e motivou outras desenvolvedoras a trabalharem em jogos com essa “estrutura padrão”. Por isso, em termos de mecânicas, os jogo Beat ‘em Up eram todos muito parecidos e suas singularidades eram verificadas apenas nos temas, cenários e personagens.

Mesmo assim, a quantidade de grandes sucessos entre as décadas de 1980 e 1990 é enorme. E o mais interessante é que jogos como Streets of Rage, Battletoads, Double Dragon, Final Fight, Captain Commando e muitos outros ainda hoje são lembrados. Isto é, o gênero realmente fez história.

Todavia, após o “boom”, esses jogos começaram a se tornar cada vez mais raros e muitos chegaram a declarar o gênero como morto. Logicamente, a ideia continuou sendo explorada ao longo dos anos e temos belos exemplos de jogos Beat ‘em Up que surgiram após a “fase de ouro”.

Exemplos de Jogos Beat ‘em Up lançados após a “fase de ouro”

Conforme eu destaquei, após alguns anos de enorme popularidade, o gênero Beat ‘em Up foi perdendo força e muitos o declararam como morto. Porém, alguns games muito interessantes, que seguem as premissas básicas desse tipo de jogo, foram lançados posteriormente.

E sim, esses games são uma prova de que o gênero nunca chegou a “morrer” de verdade. Conheça alguns deles…

Shank

Lançado em 2010, Shank é um espécime que mostra como o tempo fez bem aos jogos Beat ‘em Up. O título apresenta construções com um belo estilo visual, uma jogabilidade bem fluída e sequências de ação realmente desafiadoras, ou seja, o jogo oferece doses “cavalares” de adrenalina.

Por mais que algumas passagens do game sejam marcadas pela presença de armas de fogo, Shank é um autêntico jogo de “andar e bater”. E o melhor é que a trama tem momentos bem envolventes. Esse game fez tanto sucesso que chegou a ganhar uma sequência, em 2012. Ambos os jogos são imperdíveis!

Kung Fury: Street Rage

Jogos Beat ‘em Up

Com uma proposta extremamente nostálgica, Kung Fury: Street Rage, de 2015, consegue transportar qualquer player de volta para a “fase de ouro” do gênero. O game tem uma ambientação incrível e um estilo visual tão singular quanto encantador.

Além de ser uma experiência digna dos fliperamas, Kung Fury: Street Rage é uma linda homenagem à década de 1980, sob diversos aspectos. Para quem curte jogos de ação, com comédia, essa é uma opção que não pode ser deixada de lado… de forma alguma.

Fight ‘N Rage

Jogos Beat ‘em Up

Falemos agora de outro game que parece ter sido retirado diretamente do mundos dos fliperamas, ou seja, o incrível Fight ‘N Rage. Lançado em 2017, o game não apenas replica as ideias e o padrão visual do gênero, mas também oferece uma experiência mais dinâmica e acelerada.

Dotado de construções muito bonitas e cheias de estilo, Fight ‘N Rage é uma opção co-op de alto nível, que traz personagens carismáticos e uma bela ambientação. O game ainda tem aquelas famosas fases nas quais temos que pilotar algum veículo, enquanto “descemos o braço” nos inimigos. Muito bom!

The Take Over

The Take Over, de 2019, já é um game que aprimora um pouco as ideias do gênero, especialmente no que tange aos padrões visuais. Nesse sentido, podemos dizer que o game oferece uma aventura 2.5D, já que os modelos e os cenários têm uma profundidade diferenciada.

Por mais que seu estilo seja diferente, The Take Over é marcado por conflitos intensos e extremamente movimentados. Os golpes são insanos e a jornada é perfeita para quem curte os famosos “jogos para dois”. Esse título é um exemplo de jogatina eletrizante.

Tonight We Riot

Para fechar a minha seleção de “exemplos modernos”, meu eleito é o criativo Tonight We Riot, de 2020. Assim como outros jogos indie, esse game se destaca pelo gameplay, prela premissa e pelo visual em estilo pixel art. Entretanto, o grande diferencial do título é a possibilidade de controlar grupos.

Isso mesmo! Tonight We Riot conta com uma proposta inovadora, que guarda relação com o tema do jogo. Como seu título sugere, trata-se de um game que foca em levantes e revoluções. Por isso, movimentar grandes contingentes de pessoas é essencial. Enfim, um jogo muito divertido e inteligente.

O “retorno” dos Jogos Beat ‘em Up

No início deste post, destaquei que alguns jogos Beat ‘em Up lendários ganharam novas versões em 2020. Esses games fizeram tanto sucesso, que muita gente passou a falar sobre o tal “retorno”.

Diante disso, separei abaixo alguns títulos que podem ter motivado esse “movimento” e algumas opções que muita gente gostaria de experimentar novamente (em versões modernas). Acompanhe…

Streets of Rage 4

Jogos Beat ‘em Up

Streets of Rage 4, lançado em 2020, foi o primeiro grande Beat ‘em Up a retornar, após mais de 20 anos. Como não poderia deixar de ser, as construções do game passaram por um profundo processo de reformulação, mas, felizmente, sua essência permaneceu a mesma.

Desse modo, os players puderam reviver momentos nostálgicos, enquanto embarcavam em uma nova jornada. Streets of Rage 4 fez muito sucesso e é uma das grandes surpresas de 2020. Ademais, não seria exagero algum dizer que o game “abriu as portas” para o retorno de outros clássicos do gênero.

Battletoads

Battletoads foi mais uma lenda que retornou em 2020 e deu aos players uma nova experiência, regada a muita ação e nostalgia. Além de ser um Beat ‘em Up clássico, o game oferece construções típicas de jogos de aventura, corrida e plataforma, o que o torna uma opção bem versátil.

Apesar de oferecer uma experiência singular, Battletoads não foi tão bem recebido quanto Streets of Rage 4 e a lentidão do seu gameplay acabou sendo duramente criticada. Em determinados momentos, o game é brilhante… em outros, nem tanto.

Shaq Fu: A Legend Reborn

Jogos Beat ‘em Up

Ainda que Shaq Fu: A Legend Reborn, de 2018, seja um belo exemplo do retorno do gênero Beat ‘em Up, é sempre bom destacar que o jogo original, lançado em 1994, é um jogo de luta. Detalhe: um dos piores jogos de luta de todos os tempos (segundo milhares de players e muitos críticos).

Felizmente, Shaq Fu: A Legend Reborn, após ser ajustado para o “formato Beat ‘em Up”, acabou sendo uma espécie de redenção para um game de péssima qualidade. Nessa aventura, Shaquille O’Neal (sim, o ex-jogador de basquete) protagoniza uma jornada cheia de bom-humor e sessões de pancadaria. Vale a pena conferir!

Captain Commando

Como eu destaquei, também incluiria nesta pequena lista alguns títulos que muita gente gostaria de experimentar novamente, em versões modernas. Nesse caso, o primeiro exemplo é o eterno Captain Commando, que foi lançado em 1991 e ainda hoje é muito lembrado.

Dentre os seus muitos destaques, Captain Commando merece ser enaltecido pelo seu time de personagens. Além do Capitão, temos um ninja, uma múmia e um bebê (que pilota um robô). Essa combinação nos leva a imaginar como tudo ficaria nos dias de hoje. Contamos com a sua ajuda, Capcom.

Final Fight

Jogos Beat ‘em Up

Para arrematar, relembro da lendária franquia Final Fight, que ajudou a popularizar os jogos Beat ‘em Up. A história da série começou em 1989 e chegou ao seu fim em 2006, com um jogo que sequer mereceu receber um nome tão importante.

Se fôssemos imaginar um retorno, poderíamos olhar para algumas construções dos jogos mais recentes da franquia Street Fighter, já que os jogos têm uma relação muito próxima. Sim, há muitos jogos que poderiam retornar, mas Final Fight é (e sempre) será uma das franquias mais importantes do gênero.

Beat ‘em Up: sempre uma garantia de diversão!

Estamos chegando ao fim deste post e espero que as informações e exemplos apresentados aqui tenham lhe ajudado a perceber que o gênero Beat ‘em Up pode até não ser mais tão popular quanto já foi, mas ainda é uma sinônimo de diversão.

Após a “fase de ouro” dos jogos Beat ‘em Up, alguns títulos interessantes surgiram e ajudaram a manter o gênero vivo. Com as estreias de Streets of Rage 4 e Battletoads, o apelo desses games aumentou bastante. Portanto, o que nos resta agora é torcer para que outras pérolas do passado retornem com toda a força. Até mais…

Deixe seu comentário!