Cris Tales: O Promissor RPG de Viagem no Tempo

Prometido para o dia 17 de novembro, o vindouro Cris Tales tem chamado a atenção dos fãs dos jogos de RPG clássicos. O game, de acordo com os desenvolvedores, é uma “carta de amor aos JRPGs com uma nova perspectiva”. E como eu já experimentei a demo do jogo, posso confirmar isso.

Pois é! Cris Tales tem construções modernas e muito inteligentes, mas não deixa de lado a influência de grandes RPGs do passado. Além disso, produtos de entretenimento que abordam a temática de viagens no tempo sempre têm um apelo enorme junto ao público.

Enfim, como Cris Tales é um game extremamente promissor, revolvi criar este breve preview. Minha intenção é apresentar os destaques do título e lhe ajudar ajustar as suas expectativas. Assim, você terá uma noção clara da aventura que estará à sua disposição em breve… vamos começar?

Cris Tales: o resumo da obra

Como eu destaquei, produtos de entretenimento que abordam a temática de viagens no tempo costumam ter enorme apelo junto ao público. Bem, essa é a ideia central de Cris Tales, que, na prática, é explorada de uma forma única.

De modo geral, a aventura gira em torno da protagonista, Cris. A jovem tem o poder de transitar entre linhas temporais, a fim de promover mudanças significativas na história e no mundo do jogo.

Curiosamente, é essa ideia que acaba “segurando o game”, já que a história, a princípio, segue um padrão bem básico, com uma vilã conhecida como “The Empress” tentando destruir o mundo.

Até o ponto em que pude aproveitar a aventura, percebi que tudo está estruturado para que os personagens sejam os pontos altos da experiência. Nas primeiras horas, as histórias de cada personagem pareceram bem promissoras. Aliás, até mesmo alguns NPCs conseguem despertar a nossa curiosidade.

No que tange aos combates, os mais veteranos ficarão felizes ao saber que se trata do bom e velho sistema de combates em turnos. Porém, um detalhe importante é que as questões de viagem no tempo também funcionam nas batalhas, o que torna tudo ainda mais estratégico (darei maiores detalhes logo abaixo).

Concluindo, Cris Tales é realmente um game interessante e cheio de “sacadas geniais”. Em linhas gerais, temos aqui uma aventura que pode arrebatar qualquer pessoa interessada em uma trama com “ares de contos de fada” na qual as escolhas dos players realmente importam.

Destaques de Cris Tales

Agora que já apresentei uma ideia geral sobre o promissor Cris Tales, irei mostrar abaixo uma relação com os pontos de maior destaque. Logicamente, esses são os aspectos que mais me chamaram a atenção, durante a demo. Isto é, são os detalhes que eu acredito que mais importarão para os fãs de RPGs…

Visual

Como dizem por aí, são as “primeiras impressões que ficam”. No caso de Cris Tales, as primeiras impressões são encantadoras. Afinal, o game conta com um visual com um estilo artístico singular, que remete a alguns desenhos animados, mas com uma paleta de cores muito bonita e sofisticada.

O game, que é todo desenhado à mão, se passa sob uma perspectiva 2D, mas apresenta algumas telas dinâmicas e com certa dose de profundidade.

Outro destaque importante é o design dos personagens. Apesar de seguirem um padrão “flat”, os heróis, vilões e NPCs são cheios de personalidade, assim como acontecia com os clássicos personagens da era dos 16-bits.

Mecânica de Viagem no Tempo

Após deixar uma bela primeira impressão com seu visual, Cris Tales arrebata o jogador com a apresentação da sua genial mecânica de viagem no tempo.

De forma resumida, essa mecânica se apresenta como um divisor na tela. Do lado esquerdo, temos o passado e do direito, o futuro. O centro, obviamente, é a “área do presente”.

Por conta dessa construção, à medida que o player vai andando por uma cidade, por exemplo, ele tem a oportunidade de ver os NPCs ainda jovens ou bem velhinhos. E essa é apenas uma das muitas situações impressionantes geradas pela inteligente mecânica de viagem no tempo.

Vale destacar que essa mecânica cumpre um papel essencial no gameplay, já que, para resolver algumas situações, você deverá fazer uma ação no presente e “ir até o futuro” para poder verificar os resultados dela.

E o mais interessante é que a construção passado, presente e futuro, também se aplica aos combates. Os primeiros chefes, por exemplo, possuem um escudo intransponível no presente. Daí, você pode jogar uma magia de água na escudo, viajar para o futuro e deixá-lo enferrujado. É incrível!

Essa construção torna o sistema de combates muito mais atrativo e estratégico, já que você deverá combinar as suas forças do presente com ações no passado e no futuro.

Sistema de Combates

Mesmo que a mecânica de viagem no tempo seja um dos pontos altos do sistema de combates, eu não poderia deixar apontá-lo como outro destaque do game, pois ele apresenta uma construção digna dos clássicos.

Tudo se passa no amado esquema de turnos, com os players podendo definir as ações que serão tomadas pelos personagens. Nesse caso, vale ressaltar que há algumas peculiaridades, como alguns pontos de ação durante certos movimentos.

Quem se lembra do game Legend of Dragoon sempre destaca o sistema de combate, que seguia o sistema de turnos, mas tinha alguns pontos de ação no quais, para executar os combos, era necessário apertar alguns botões nos momentos indicados na tela.

Cris Tales

E sim, Cris Tales conta com essa particularidade. Ao ajustar “o timing”, os players podem diminuir o dano, com uma defesa melhor, ou provocar acertos críticos.

Em suma, o sistema de combates, consegue garantir uma experiência bastante estratégica e um pouco menos “passiva” do que o formato de turnos tradicional. Para completar o “pacote”, ainda temos o visual impecável, com belas animações de batalha e a genial mecânica de viagem no tempo.

Cris Tales: o que podemos esperar?

Para concluir, posso afirmar que Cris Tales tem tudo para ser um dos grandes jogos indie já lançados. A aventura tem mecânicas muito inteligentes, um visual impressionante e um sistema de combates que pode gerar muitos desafios.

Durante a minha experiência com a demo, pude verificar apenas uma parte da história e, por isso, ainda não posso dizer se ela também merece elogios.

A princípio, a ideia básica da trama me pareceu clichê, mas, muito provavelmente, a questão das viagens no tempo irá adicionar maior complexidade a tudo, ao longo da jornada.

Se isso acontecer, o que podemos esperar de Cris Tales é um RPG à altura de grandes clássicos do gênero. Nesse sentido, é bom lembrar que os desenvolvedores não escondem que o game foi inspirado em títulos como Chrono Trigger, Final Fantasy VI, Valkyrie Profile, Bravely Default e Persona 5.

Com referências tão poderosas não podemos fazer nada, a não ser elevar o nível do hype em relação a Cris Tales.

Por fim, destaco que, se você quiser experimentar o game, a demo está disponível para PC, PS4, Xbox One e Switch. E, por favor, se decidir testar essa aventura promissora, não deixe de retornar aqui para deixar as suas impressões no campo dos comentários, ok?

E se quiser compartilhar o post, para mostrar o incrível Cris Tales para aqueles seus amigos “viciados em RPGs”, fique à vontade. Até mais…

Deixe seu comentário!